voltar

Pró-Saber e Fiocruz iniciam diálogo sobre projeto que pretende unir ciência, arte e educação

22/05/2024

O Instituto de Educação Superior Pró-Saber e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) iniciaram, nesta terça-feira (21/5), conversas para a criação de um projeto que pretende unir ciência, arte e educação. Os diálogos ocorreram nesta terça-feira (21/5), na Escola de Educação Integral Padre Quinha, local de aplicação da metodologia Pró-Saber, no Vale do Cuiabá, em Petrópolis (RJ). O objetivo do projeto é apresentar um aprofundamento da ecologia integral em um seminário a ser realizado no próximo ano. 

Na ocasião, também foram debatidas iniciativas de educação ambiental. A vice-diretora Luciana Garzoni (Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação) e a coordenadora Aline Morais (Plataforma de Apoio à Pesquisa e Inovação) foram recebidas pela reitora do Pró-Saber, Maria Cecília Almeida e Silva, e pelo coordenador de projetos socioambientais, João Marcos Almeida e Silva, no Canto de São Francisco — espaço verde onde os alunos, além de plantar os alimentos consumidos na escola, desenvolvem soluções e programas que integram os projetos escolares baseados na  natureza e na floresta (compostagem, telhado verde, captação de água da chuva e aquecimento solar). 

Luciana concluiu que o local é adequado para receber projetos de tecnologia social desenvolvidos pela entidade. O propósito dessa iniciativa é o desenvolvimento de atividades de ciência e arte por meio de oficinas, jogos, práticas de laboratório e rodas de conversa, com foco em promover a conscientização sobre aspectos biológicos e determinantes sociais das doenças. 

A Escola dos sonhos impossíveis 

Dentro de uma carroça cigana cheia de livros, instalada no gramado da Escola, os presentes falaram sobre os diferenciais do trabalho ali realizado, que passa pelo encantamento de todos os envolvidos, inclusive, a própria comunidade de Petrópolis. 

Creonilde Fernandes é o perfeito exemplo do impacto gerado pelo trabalho realizado: foi aluna, professora, coordenadora e, atualmente, é a diretora-geral. “Nós sempre caminhamos com entusiasmo, é uma semente que plantamos aqui e vai para o bairro. A escola dos sonhos existe porque plantamos a semente do amor, somos educadores por amor”. 

A coordenadora pedagógica, Ana Antunes, traduziu a magia que permeia o trabalho dos professores e o dia a dia dos alunos da Padre Quinha ao explicar como são trabalhadas as trilhas pedagógicas. Desde 2012, anualmente, um tema é escolhido para integrar as atividades multidisciplinares realizadas em todas as turmas. “[Na fase adulta] Fica algo da importância da cultura, do conhecimento, de algo que vai além do conteúdo do livro escolar e que transborda, como a [reitora] Cecília fala, na questão da arte”. A diretora Paola Braga fez a mesma comparação com a fase adulta e afirmou “que a escola dos sonhos existe” e que o grupo estava inserido nela. 

A contribuição artística ficou por conta de Luiz Aquila, renomado pintor, desenhista e professor convidado para integrar o projeto. “A ciência está muito mais próxima da arte do que a arte tem se aproximado da ciência. A ciência está mais imaginativa e mais criativa, e, às vezes, o mundo da arte está mais careta, formal e chato. Será ótima a proximidade dos artistas cientistas com os artistas especializados!”.


Comentários